Opiniões, debates e posições. Direto da terra dos sonhos…e da rapadura

“A história se repete, a primeira vez como tragédia e a segunda como farsa”

Compartilhar

Por Samuel Santos

Quando Marx escreve que “a história se repete, a primeira vez como tragédia e a segunda como farsa”, mesmo a mais de 100 anos, consegue prever que a dominação apenas muda a roupagem e o método, mas os dominados tem probabilidade maior de continuarem sendo dominados.

Fonte: Internet

A Mídia como ferramenta de dominação só é possível com a falta de consciência, de conhecimento, frutos de uma educação tecnicista de um projeto colonialista e dominante.

Quando era só rádio e televisão a barbárie da bestialidade não se acentuava, pois faltava um elemento para completar o ciclo: conexão.

As “redes sociais” trouxeram, para um povo historicamente dominado, colonizado, sem instrução, o fio condutor para levá-los a sua decadência social.

No “brazil” mais moderno, a tragédia social, embora renegada por parte da sociedade, eclodiu em 1964, pela força. Hoje, se dá pela farsa.

A bestialidade é tamanha que o sentimento de frustração dos dominados se transforma em sentimento de prazer numa rede social. Aquele que nunca conseguiu chegar a graduação, barrado pelo projeto dominante, assume numa rede social o papel de advogado, mesmo sem nunca ler uma constituição a que está submetido. Como argumento definitivo de acusação e defesa simultâneo, encena um professor na correção ortográfica do opositor. Nunca surgiram tantos “médicos patologistas” diagnosticando “esquerdopatas”. Nunca tivemos tantos “cristãos” querendo fazer parte do pelotão de fuzilamento….e por aí vai…

Na nossa época, segundo Marx, estamos vivendo o período da farsa. Justiça finge que julga. Políticos na sua maioria fingem que representam o povo. A mídia finge que é imparcial. Fingimos que “temos muitos amigos virtuais”….

E qual a tragédia atual? Estamos fingindo que isso tudo vai passar. Que vamos “bloquear” tudo, assim como bloqueio o que não me convém na timeline. Tragédia é achar que fazer campanha em rede social contra netflix resolverá… Tragédia é achar que escrever “textão”, como este, e publicar em rede social, achando que vai fazer conscientização.

Eis, que entendamos que a vida real, dos proletários, dos trabalhadores e das trabalhadoras não é substituída pela ficção; que a luta se dá no campo de batalha e não na “rede”; que a organização precisa de “cheiro de povo”, ” chão de fábrica e “cheiro de campo”, ou continuaremos coniventes com esta tragédia social que vivemos.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abril 2018
D S T Q Q S S
« jun    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  
Visite nossa página